Graças à aceleração do processo de transformação digital nas empresas, os (as) profissionais de tecnologia ganharam destaque e são cada vez mais demandados pelas organizações.

Essa valorização do(a) profissional impacta diretamente no aumento das contratações em diversas áreas da tecnologia, bem como na necessidade percebida de formar equipes de excelência.

Como resultado, a disputa pelos melhores talentos aumenta, e o reflexo na remuneração é direto: aumento da média salarial e dos pacotes de benefícios.

Segundo a GeekHunter, empresa de recrutamento especializada na contratação de profissionais de tecnologia, em 2020, o número de vagas abertas na área de tecnologia cresceu 310%, e as perspectivas são ainda mais otimistas para 2021.

A startup também notou o aumento de 14,9% no volume de empresas ativas em sua plataforma que procuram por profissionais da área de desenvolvimento de software e Data Science em especial.

Os dados levantados pela IDC (International Data Corporation) reforçam este posicionamento: segundo a pesquisa, 42% das empresas brasileiras pretendem aumentar o orçamento em tecnologia em 2021.

Os dados mostram que certamente podemos esperar que as empresas continuem e aumentem as suas buscas por profissionais de tecnologia, introduzindo inovações tecnológicas para melhorar a experiência dos seus clientes – resolvendo problemas cada vez mais latentes da sociedade moderna.

Outro fator que faz crescer a demanda por profissionais de TI é o fato de que empresas estrangeiras buscam contratar brasileiros. Apesar do crescente número de novas contratações – aqui e lá fora -, a oferta de profissionais de programação e desenvolvimento ainda é menor do que a demanda do mercado, principalmente por profissionais que possuem mais de dois anos de experiência.

Podemos concluir que, sim, existe a dor de mercado relacionada ao preenchimento das vagas para profissionais júnior que querem ingressar na área; e uma dor ainda maior na contratação de profissionais sêniores.

Profissões em Tecnologia

No mapeamento do Guia Salarial 2021 da Robert Half, foi constatada a valorização de cinco posições:

  • Especialista em Segurança da Informação – Posição demandada principalmente nesse período de pandemia, uma vez que um grande número de colaboradores migrou para o trabalho remoto e as empresas precisam garantir o acesso aos dados a qualquer hora e em qualquer lugar, sem riscos de segurança.
  • Especialista de Business Intelligence – Esse profissional tem a função de coletar e tratar dados (internos e de mercado) em informações lógicas e estratégicas, com a ajuda de soluções de tecnologia, dando suporte para que os gestores do negócio tomem as melhores decisões.
  • Especialista em Infraestrutura - É o profissional que tem a responsabilidade por todos os componentes do sistema de informação de uma empresa. Mais uma vez, por conta da pandemia, se intensificou a necessidade de cloud computing, e profissionais com este conhecimento têm sido muito valorizados, seja no processo de transição para a nuvem ou para garantir que cada colaborador tenha perfeito acesso aos dados da empresa, independentemente de onde esteja.
  • Cientista/Engenheiro de Dados – Essa posição é responsável por analisar dados do comportamento dos clientes, transformando essas informações em estratégias relacionadas ao desenvolvimento de produtos e serviços.
  • Desenvolvedor/Engenheiro de Softwares - É o responsável pelo desenvolvimento do código de um programa, site, aplicativo ou plataforma. Esse profissional tem sido muito demandado em empresas que precisaram implementar, ajustar ou atualizar seus serviços no ambiente digital para que os clientes pudessem continuar consumindo produtos ou serviços sem sair de casa.

Além dessas 5 posições, outras profissões de destaque são as de Product Manager (gerente de produto) e de Analista/Design UX/UI.

Gestor de Produto

Com uma média salarial de R$ 19.025/mensal segundo o Guia Salarial 2021, o cargo de Product Manager vem se consolidando com uma das profissões mais bem pagas do Brasil.

Claro que, para chegar até esse patamar salarial, existe um caminho a ser percorrido. Apesar dos altos salários como principal atrativo e do fato de que 7 em 10 Product Managers estão satisfeitos com suas carreiras (Dados do relatório The Future of Product Management), muitas empresas estão tendo um grande desafio na hora de contratar — não há profissionais suficientes no mercado para atender à grande demanda de vagas.

O principal desafio está na área de educação. As universidades não preparam pessoas para integrar um mercado ávido por lideranças na área de Produto.

Designer UX/UI

Com média salarial de R$ 4.205,00 e com remuneração que pode chegar até aproximadamente R$ 12 mil, o UX/UI Designer vem surgindo entre uma das profissões de destaque nesse ramo.

Este profissional precisa identificar problemas de usabilidade em interfaces, criando hipóteses e testes para soluções de problemas, além de otimizar a experiência do usuário.

Para isso, é preciso saber enxergar o produto com a visão do usuário e compreender a viabilidade do produto por parte da empresa.  As companhias buscam principalmente perfis que tenham experiência com prototipagem e pesquisa; a experiência em desenvolvimento Front-end é um diferencial, pois há muita correlação com esta área.

Outro ponto importante é o inglês: por ser uma área ainda em desenvolvimento no Brasil, os melhores materiais e grande parte das ferramentas estão neste idioma.

Com relação ao perfil desses profissionais, os empregadores buscam aqueles que demonstram seus conhecimentos técnicos de forma efetiva, e isso vai muito além de certificados; na verdade, certificações têm sido cada vez menos relevantes nesse mercado.

Além das habilidade técnicas, outras habilidades comportamentais ganharam destaque e estão sendo cada vez mais demandadas:

  • Visão de negócios;
  • Comunicação;
  • Relacionamento interpessoal;
  • Agilidade;
  • Inovação.

Àqueles que estão na área ou desejam ingressar nela, minha recomendação é que mantenham os conhecimentos em dia, seja através de cursos formais ou do estudo por conta própria. Isto porque, nesse mercado em constante atualização, existem mais vagas em aberto do que pessoas qualificadas para as preencher – e isso deve continuar em 2021.

Faixa Salarial de profissionais de Tecnologia

O Guia Salarial 2021 da Robert Half apresentou as faixas salariais para profissionais de tecnologia.

O salário dos cargos listados no Guia não inclui bônus, benefícios e outras formas de remuneração. O salário de cada cargo foi dividido em quatro percentis para ajudar a personalizar as ofertas salariais para cada função.

Os percentis representam diferenças no nível de experiência e habilidades de um(a) candidato(a), certificações profissionais, demanda pela função e tamanho e complexidade da empresa que está contratando.

Estas são as especificidades de cada percentil:

  • 25º: O(A) candidato(a) pode ser novo(a) para o cargo ou ainda estar desenvolvendo habilidades relevantes para o trabalho. Demanda: baixa;
  • 50º: O(A) candidato(a) pode ter experiência necessária e contar com a maioria das habilidades relevantes para o trabalho.  Demanda: moderada;
  • 75º: O(A) candidato(a) pode ter mais experiência do que a típica e contar com a maior parte ou todas as habilidades relevantes para o trabalho, além de especializações e certificações. Demanda: alta;
  • 95º: O(A) candidato(a) pode ter alto nível de experiência e/ou experiência relevante. A função pode ser muito complexa ou o(a) candidato(a) possui um conjunto de habilidades diferenciadas e difíceis de encontrar no mercado de trabalho. Demanda: muito alta.

Vamos às tabelas salariais:

Tabela de Salários para profissionais de gerência em Tecnologia
Tabela de Salários para profissionais de desenvolvimento de software
Continuação - Tabela de Salários para profissionais de desenvolvimento de software
Tabela de Salários para profissionais de Sistema e Big Data
Tabela de Salários para profissionais de Segurança e Infraestrutura Digital

Vagas remotas

A GeekHunter também percebeu o aumento na oferta de vagas remotas desde fevereiro de 2020, quando representava 25% do total, em média. Desde então, esse número cresceu mês a mês, e em novembro já correspondiam a 75% das posições abertas na plataforma.

A projeção da GeekHunter para 2021 indica que 85% das aberturas de vagas em tecnologia serão flexíveis, ou seja, trabalho remoto e presencial. Mesmo com uma possível mudança no cenário, incluindo a retomada do trabalho presencial pós-pandemia, as vagas em tecnologia deverão se manter em um patamar mínimo de 60% de profissionais remotos.

A tecnologia tem sido tão vital para os negócios que o conhecimento dela representa um diferencial buscado pelos empregadores durante os processos de recrutamento e seleção de todas as áreas.

Aqui, não falo de profissionais com noções técnicas. Falo daqueles que se mantêm antenados sobre métodos, processos e ferramentas que podem otimizar os procedimentos repetitivos, sensíveis ou burocráticos; sinalizam esta tendência aos gestores e, paralelamente, buscam formas de serem ainda mais estratégicos para a organização (e não serem substituídos por robôs).

Como você pode ver, é um processo que precisa estar tanto no DNA da organização quanto na mente de quem trabalha nela.

Agora que você já viu que vale a pena investir na carreira na área de Tecnologia, que tal dar o primeiro passo?

Na Cubos Academy nós temos diversos cursos para você:

  1. Temos o curso Programação do Zero: indicado para quem está iniciando sua jornada na programação ou para quem nunca teve contato com a área mas quer aprender a desenvolver softwares;
  2. Vamos abrir as matrículas no dia 11/03 para o Curso de Product Management: aprenda na prática a identificar, construir e melhorar produtos digitais para resolver as necessidades dos seus usuários. Mergulhe no universo de Product Management com uma formação completa, alinhando teoria e prática, de verdade;
  3. Temos o Curso de Desenvolvimento Mobile com Flutter: para você aprender a desenvolver aplicativos para Android e iOS com apenas um código utilizando Flutter, um framework criado pela Google e utilizado por grandes empresas como Alibaba, e-bay e Nubank;
  4. E temos o curso Design UX/UI, que capacita designers para a criação de interfaces pensando na Experiência do Usuário. Para isso, serão trabalhados projetos reais voltados a problemas sociais, tendo como foco o mercado de trabalho.

Vamos juntos transformar a realidade através da educação e tecnologia!